terça-feira, 18 de dezembro de 2018

RÉVEILLON 2019. COSTA DO CACAU



O PRIMEIRO LOTE TERMINANDO APENAS R$ 400,00 POR PESSOA EM 7 VEZES

CARDÁPIO DA VIRADA  
(All Inclusive )
Bebidas
Cerveja Heineken, Sucos Diversos, Refrigerantes, Agua mineral e Espumantes
Buffet
Mesa de antepastos, Saladas e Pratos Quentes.
Tomate seco, Terrine de  tomate seco, Terrine de Atum, Berinjela apetitosa, Salpicão, azeitonas verdes , Cebolinhas, Azeitonas pretas , Torta Salgada, Laminas de queijo Reino, Queijo Gouda, Queijo Gorgonzola, Queijo Provolone, Cubos de queijo Provolone temperado, Cubos de queijo Brie, Peito de Peru defumado ,Lombinho Canadense, presunto temperado, Torradas...
Saladas  Bacalhau, Camarão e  Salada Tropical, Quiche, Blanquet de peru,
Pães e torradas especiais, Salada Ceaser com Manga e Camarão... Pratos Quentes: Bobó de camarão, Mariscada com Arroz, escondidinho de Carne seca, Pernil Suíno, Carne Maluca, Presunto Cozido, Tender, Caldo de Abobora com Charque, Filé ao molho de Ervas e Champignons, Salmão ao molho de Maracujá...
Salgados:  fritos;  Forno e  Folheados
Roseta de Frango com provolone, Quiche de Chester com Palmito;
Folheado de Peito de Peru com Abacaxi, Ameixa Apimentada;
Quibes...
Canapés
Rissole de Camarão, Croquete de Carne seca, Croquete de Bacalhau, Bolinho de queijo com Azeitona, Coxinhas...
Doces Finos
Uva encapada, Brigadeiros, Damascos, Cupuaçu, Nozes, Café, pão delicia com recheio e sem recheio.

quarta-feira, 10 de outubro de 2018

Saiu a Lista suja de trabalho escravo denuncia 209 casos


O Ministério do Trabalho acaba de divulgar uma versão atualizada da chamada “lista suja” do trabalho escravo. O documento, que denuncia 209 empresas pela prática do crime, traz uma fabricante da Coca-Cola e a Via Veneto, dona da marca de roupas Brooksfield. A última publicação foi feita em abril de 2018, por determinação da Justiça.



Auditora-fiscal durante ação contra trabalho escravo em São Paulo Foto: Arquivo

Do total de 209 infratores, a lista atualizada tem 50 novos integrantes. A maior marca nacional a figurar entre os empregadores é a Via Veneto. As roupas de sua marca feminina, a Brooksfield Donna, eram costuradas por bolivianos em jornadas de mais de 12 horas em uma oficina pequena, escura e sem higiene na zona leste de São Paulo.

Segundo registro do relatório de fiscalização, “fadiga, estresse, exaustão, dores nas costas, coluna, olhos e juntas, dificuldade para dormir e despertar e sono intranquilo” foram algumas das consequências físicas da jornada exaustiva. Cinco trabalhadores imigrantes foram resgatados, incluindo uma adolescente de 15 anos.

A nova lista suja traz também a Spal Indústria Brasileira de Bebidas, fabricante da Coca-Cola que integra o grupo mexicano Femsa – no Brasil são dez unidades para engarrafamento e 43 centros de distribuição.

A fiscalização ocorreu em 2015 e 2016 em quatro unidades da Spal em Belo Horizonte e Contagem, em Minas Gerais. Os caminhoneiros e ajudantes de entrega realizavam, em média, 80 horas extras por mês. Situações extremas chegavam a 140 horas extras por mês. As jornadas diárias chegavam a ser de 12 e 14 horas.

Lista – Criada em novembro de 2003, a “lista suja” é uma base de dados que expõe casos em que houve resgate de pessoas em condições consideradas análogas à escravidão. As empresas na lista suja deste ano foram fiscalizadas entre 2005 e 2018.

O cadastro é utilizado para análise de risco por bancos públicos e privados. Além disso, há empresas que evitam fechar negócios com esses empregadores.

Para Carlos Silva, presidente do Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais do Trabalho (Sinait), a lista “precisa ser atualizada e divulgada periodicamente, para que continue a contribuir para os avanços que tornaram o Brasil referência mundial no combate a esse crime”.

Veja a lista AQUI

quinta-feira, 30 de agosto de 2018

Audiência pública debaterá, mais uma vez, a obra da Ferrovia Oeste- Leste em Ilhéus


A subconcessão à iniciativa privada do trecho entre Ilhéus e Caetité da Ferrovia de Integração Oeste-Leste (Fiol) será debatida com a sociedade civil organizada e a população, em geral, em audiência pública marcada para o próximo dia 21 de setembro, pela manhã, na cidade de Ilhéus. O anúncio foi feito pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), vinculada ao Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil, na edição desta quarta-feira (29) do Diário Oficial da União.

Audiências – Além da audiência pública presencial em Ilhéus, haverá uma segunda, em Brasília, no dia 25 de setembro. Além das sessões presenciais, será possível enviar contribuições para o plano de concessão, até o dia 15 de outubro de 2018. Todas as informações e orientações sobre os procedimentos relacionados à participação da sociedade civil na audiência pública estão disponíveis no site da ANTT – www.antt.gov.br. Outros esclarecimentos podem ser obtidos por comunicação via e-mail, no ap010_2018@antt.gov.br, ou pelo telefone (61) 3410-1887.

O Governo da Bahia por meio de seu corpo técnico preza pela celeridade do projeto. Os estudos de viabilidade técnica e econômica referentes ao processo de concessão da Fiol foram contratados pelo Estado da Bahia, através de uma licitação pública, e já se encontram aprovados Secretaria Nacional de Transportes Terrestre e Aquaviário.

A Ferrovia Oeste Leste vai ligar Figueirópolis, no Tocantins, ao porto de Ilhéus, com 1.526 km de extensão. O projeto prevê a movimentação de 60 milhões de toneladas de cargas em 10 anos, chegando a 100-120 milhões em 25 anos. Na Bahia, as obras da Fiol são divididas em FIOL 1 (Ilhéus/ Caetité) e FIOL 2 (Caetité/ Barreiras).

quarta-feira, 8 de agosto de 2018

IGREJA DE SÃO JORGE- ILHÉUS-BA

HISTÓRIA

Foto: Ed Ferreira
A igreja Matriz de São Jorge é uma construção do final do século XVII, de acordo com Instituto de Proteção Artístico Cultural (IPAC), é uma Igreja de relevante interesse histórico e arquitetônico, com nave, capela-mor, corredor e lateral, sacristia e torre, do lado esquerdo. A fachada tem dois corpos, sendo o principal, emoldurado por cunhais e cornija, e vazado por bela portada, ladeada por duas portas, no térreo, e duas janelas ao nível do coro. A torre possui terminação piramidal e coruchéus nos cantos e arco pleno. Os cunhais, as cornijas e as cercaduras de portas, as janelas e as seteiras são em cantaria. No interior possui arco cruzeiro, nichos e bacia de púlpito também em arenito. O forro dos cantos é redondo, na nave, e em abóbada abatida, na capela-mor.
O altar-mor, neoclássico, está incompleto. Entre as imagens da igreja, destacam-se as de São Jorge, um crucifixo, Nossa Senhora do Rosário e São Pedro. Na sacristia e no corredor lateral, utilizado como Museu de Arte Sacra, existem algumas peças de mobiliário; merece destaque a cabeça de santa, São Miguel, Nossa Senhora das Neves (séc. XVI), Santo Antonio, Santo Inácio e São Caetano (séc. XVII), e alfaias de prata. Dados tipológicos: Igreja de construção apurada, originária do final do séc. XVII. São típicas deste período as cercaduras com ressaltos nos cantos e a torre piramidal, utilizada pela primeira vez no Convento de Cairu -Ba (1660).

Cercaduras semelhantes são encontradas em Sta. Tereza, Casa de Oração dos Jesuítas, solares Berquó e Sete Mortes, em Salvador, e na Igreja de São Brás, em Santo Amaro. Outra disposição arcaica está nos dois nichos laterais ao arco cruzeiro, observado também, no Colégio de Olinda, e igrejas de Ajuda e Belém, em Cachoeira.

Este elemento e o apuro da construção sugerem a intervenção de algum arquiteto jesuíta. Histórico arquitetônico, segundo o IPAC (1988, p. 224): Após a chegada dos primeiros portugueses e a fundação da vila de São Jorge, Francisco Romero fixou a povoação no morro de São Sebastião. Em 1556 foi criada a Freguesia de São Jorge por Dom Pero Fernandes Sardinha e uma primeira igreja teve sua construção iniciada pelos primeiros moradores da capitania, mas só foi concluída em 1572. A matriz de São Jorge foi construída após o convento de Cairu, que data de 1660. No início do século XX, para alargamento de uma rua, foi demolida a sacristia direita da igreja. Seu partido primitivo era, portanto, a planta em “T”, característica do mesmo século. A Igreja Matriz de São Jorge pode ser considerada o mais importante monumento histórico localizado na sede do município. O Museu de Arte Sacra, localizado ao lado da igreja, possui peças belíssimas, antigas e raras.

MAIS FATOS HISTÓRICOS DA IGREJA DE SÃO JORGE

Foto: Ed Ferrreira
A Igreja Matriz de São Jorge está situada no centro da cidade de Ilhéus, à rua Antônio Lavigne de Lemos. Sua fachada lateral direita está voltada para a Praça Rui Barbosa, que se abre para o mar. Do alto de sua torre era possível contemplar bela vista panorâmica da cidade, e, um pouco adiante, a Catedral de São Sebastião. Segundo relatório do IPAC, a igreja “tem sua volumetria e ambiência prejudicadas por anexos com telhados de fibrocimento e construções, em volta, de mau gosto” (1988, p. 223).
O belo monumento é do final do século XVII e tem área construída de 670 m2.
Restaurações e intervenções realizadas: entre os anos de 1912 e 1916, no curso das obras de modernização da cidade, empreendidas pela administração municipal do coronel Pessoa, é demolida a Sacristia direita da igreja. Na década de 1950 são construídos, anexos à igreja, um salão com laje de concreto e telhado de fibrocimento. (IPAC, 1988, p. 224).
No início do século, para alargamento de uma rua, foi demolida a sacristia direita da igreja. Seu partido primitivo era, portanto, a planta em “T”, característica do mesmo século. Em meados do século XVIII, a igreja teria sofrido, segundo alguns autores, intervenções em sua fachada. Estas modificações devem ter consistido na construção do atual frontão e na transformação das duas janelas laterais à portada em portas, como ainda hoje restam vestígios. O amplo corredor lateral é da década de 1950.
Em 4 de outubro de 1970 foi colocada uma placa comemorativa da restauração da igreja, com agradecimentos aos donativos de Jerônimo Francisco Ferreira e à orientação técnica e artística do arquiteto Luis Osório Amorim de Carvalho. Durante as obras foram descobertos alguns nichos de cantaria, que estavam tapados.

A Igreja Matriz de São Jorge pode ser considerada o mais importante monumento histórico localizado na sede do município. São Jorge é um dos padroeiros da cidade. A igreja está relativamente bem conservada, são realizadas missas normalmente, mas o clima local costuma danificar com muita facilidade os prédios, exigindo frequentes restaurações. No museu localizado na sacristia da igreja, encontram-se algumas peças antigas de valor, inclusive um São Jorge sem cavalo, fato raro. O Museu de Arte Sacra, localizado ao lado da igreja, possui peças belíssimas, antigas e raras, mas nem sempre fica aberto ao público por falta de segurança.

A Igreja de São Jorge é o mais belo monumento erguido na Vila de São Jorge, no tempo do Brasil Colonial. E o calçamento da rua Antonio Lavigne de Lemos é muito especial.


Fonte: (CRÉDITOS DE A história de São Jorge dos Ilhéus – Maria Luiza Heine)