sexta-feira, 9 de junho de 2017

Uma planta muito simples consegue matar até 98% de células cancerígenas


Uma planta simples e comum que prolifera em todo território brasileiro, considerada uma erva daninha, recebe  atenção de estrela.
Muita gente que passar por terrenos baldios e matagais já deve ter visto essa plantinha que se alastra naturalmente, mas poucos sabem reconhecer sua importância e utilidades. O melão-de-são-caetano é uma planta do gênero botânico Momordica, pertencente à família Cucurbitaceae. É muito conhecido como "melãozinho".



Eu estou sempre buscando por substâncias que dão uma “chave de braço” no metabolismo peculiar das células cancerosas. É vital que essas substâncias matem as células doentes e deixem as saudáveis intactas. Já falei sobre algumas de minhas descobertas científicas no passado, como o resveratrol, chá verde, seanol e outros. Mas hoje eu vou lhes falar sobre outra planta que seguramente mata o câncer de fome com tanta eficácia quanto uma quimioterapia.  (Na verdade, funciona inclusive no câncer de pâncreas, um dos mais difíceis de se combater).

A planta é um vegetal comum  originário da Ásia e que tem o nome de melão amargo (Momordica charantia - no Brasil, pode ser conhecido como melão-de-são-caetano), sendo popular na região de Okinawa, no Japão, e presente em todo nordeste do Brasil.


O suco do vegetal, na concentração de 5% em água mostrou ter um potencial assombroso de lutar contra o crescimento dos quatro tipos de cânceres pancreáticos pesquisados, dois dos quais foram reduzidos em 90%, e os outros em incríveis 98% apenas 72 horas após o tratamento!

Apoptose
Já comentei em outros artigos a respeito da apoptose, que é a resposta natural de um organismo em lidar com células fora do comum - que simplesmente suicidam. O suco induziu essa morte programada por vários caminhos diferentes. Um desses caminhos foi o de colapsar o metabolismo de alimentação por glicose das células doentes, ou seja, privou-as do açúcar que elas necessitam para sobreviver.


Será que esses estudos de laboratório também servem para animais vivos? A resposta é um sonoro “sim”! Pesquisadores da Universidade de Colorado aplicaram doses em ratos que seriam proporcionais a humanos, e eles apresentaram uma redução em 64% do tamanho de seus tumores, sem efeitos colaterais. Esse nível de melhora ultrapassa os alcançados atualmente com o uso de quimioterapia para um tipo de câncer tão letal.

O fruto em remédios para diabetes

O responsável pela pesquisa na universidade, Dr Rajesh Agarwal, observou o costume chinês e indiano de usar o fruto em remédios para diabetes. Vendo que esta doença tende a vir antes do câncer pancreático, o doutor associou as ideias, criando novos rumos nas investigações existentes.

A dose utilizada foi de seis gramas de pó do melão amargo para um adulto de porte médio (75 quilos). Os grandes laboratórios e companhias farmacêuticas buscam encontrar petroquímicos patenteáveis que obtenham o mesmo resultado que Deus colocou nesse vegetal. 

Eles ficam boquiabertos como uma planta tão despretensiosa consegue desnutrir o câncer sem precisar de nenhuma química complexa.


No centro médico da Universidade de Saint Louis, a Dra. Ratna Ray, Ph. D. e professora de patologia, liderou pesquisas similares, testando primeiramente em células de câncer de mama e próstata e depois experimentando em cânceres da cabeça e pescoço, que embora representem 6% apenas dos casos, são agressivos e se espalham facilmente, começando por vezes pela boca, garganta, nariz.


Com efeito, após quatro semanas de tratamento controlado em animais, o volume e crescimento dos tumores reduziu. A doutora ressalta: "É difícil medir o resultado exato do tratamento com o extrato de melão amargo no crescimento das células, porém combinado com as terapias e remédios existentes, pode auxiliar na eficácia do combate ao câncer."


Pesquisadores descobriram recentemente que a síndrome metabólica é amenizada pelos benefícios no metabolismo glicólico. Ótimas notícias, pois não se destrói o câncer por uma via só, e eu acredito que deve ser multifocal: em outras palavras, fortalecer o sistema imunológico, desintoxicar, eliminar infecções dentais e materiais tóxicos dos dentes, alcalinizar o organismo, oxidar o corpo com terapia com oxigênio, e prover nutrientes específicos para dar uma “chave de braço” nos caminhos particulares do metabolismo do câncer.


Todas as células cancerosas mostram uma produção anormal de energia que utiliza fermentação ineficiente de glicose. O melão amargo pode ser um excelente aliado ao combate dessa produção de energia anormal.

O artigo original pode ser conferido aqui.


PS. Este texto foi traduzido e adaptado do artigo original, escrito pelo Dr. Frank Shallenberger, e o link dessa versão encontra-se no final da matéria. Trata-se de uma tradução livre do artigo escrito em primeira pessoa publicado por Shallenberger.


Acompanhe outras informações:


Melão de são caetano tem poderes que você nem imagina


Por Helena Emília



melão de são caetano, conhecido cientificamente como momordica charantia, é uma planta que faz parte da família das cucurbitaceae e é originária de partes como leste da Índia e sul da China. 

No Brasil, também vem a ser reconhecido por nomes populares como :
erva de São Caetano;
fruto de cobra;
erva das lavadeira;
e melãozinho. 

Tratando-se de características, é uma trepadeira de cheiro não muito agradável que possui flores amareladas ou esbranquiçadas, folhas palmatífidas e fruto dourado que abre-se em válvulas enrugadas como falsos espinhos, possuindo carnosidade mole em seu interior, que torna-se amarelo avermelhada quando madura.

O melão de são caetano pode ser facilmente encontrado em locais como pomares, hortas, cafezais, cercas, alambrados e terrenos baldios.


Desde a antiguidade já era utilizado na medicina, principalmente pelas tribos existentes na Amazônia. As lavadeiras utilizavam esta erva como clareador de roupas e tirador de manchas em geral.





Propriedades medicinais


Possui função: Adstringente, afrodisíaca, aperitiva, estomáquica, anticarbunculosa, anti-helmínticos, anti-hemorroidário, antidiabética, antimicótica, antifebrífugos, antivenéreos, antileucorréico, anti-reumática, antiflatulenta, anticatarral, antipirética, cicatrizante, colerética, depurativa do sangue, emenagoga, emético, emeto-catárquico, emoliente, estomáquico, febrífuga, hemostáticos, hipotensora, hipoglicêmica, laxante, purgativa, rubefaciente, supurativa, vomitivos vermífugo e vermicida.

Quando a erva pode ser indicada


Seu uso é recomendado em casos de: Afecções biliares, catarata, cólicas abdominais, colite, cravos, dartro, dores de ouvido, dor reumática, escabiose, enxaquecas, febre, fígado, hemorroidas, infecções da pele, irrigação vaginal, leucorréia, malária, menstruações difíceis, mordida de serpentes, morféia, problemas de pele em geral, picadas de insetos, problemas gástricos, pruridos, queimaduras, resfriado, reumatismo, úlceras malignas e vermes.

Modos de usar o melão de são caetano

  •  Seus frutos cozidos agem em casos de vômitos e doenças venéreas.
  •  Pode ser feito cataplasma com seus frutos maduros em casos de problemas hemostáticos.
  •  O suco de suas folhas secas é eficaz em casos de problemas eméticos, purgantes, mordidas de serpentes e afecções biliares.
  • Sua raiz é um potente adstringente.
  • A decocção de suas folhas é utilizada em afecções dermatológicas
  • Uma forte infusão de suas folhas ajuda em casos de escabiose, picadas de insetos, malária, pruridos e úlceras malignas.
  • Infusão da planta inteira serve para resfriado.
  • Realizar infusão de 10g de suas folhas em estado seco em 1 litro de água serve para tratamentode leucorreia, menstruações difíceis e cólicas causadas por vermes.
  • A infusão de seu fruto é bastante indicada para tratar hemorroidas.
  • Fazer suco de suas folhas amassadas junto à óleo de amêndoas é bastante eficaz tratando-se de queimaduras. Já o seu suco puro age em caso de sarna. 

Melão-de-São-Caetano – Momordica charantia












Na Amazônia, as populações locais e tribos indígenas cultivam o melão-amargo para utilizá-lo como alimento e medicamento. Medicinalmente, a planta tem uma longa história de uso pelos povos indígenas amazônicos. O chá da folha do melão-amargo é utilizada para diabetes, expelir gases intestinais, promover a menstruação, e como um anti-viral contra o sarampo, hepatite e febre. Usado topicamente para lesões, feridas e infecções e, internamente e externamente para vermes e parasitas.


Na medicina herbal brasileira, o melão-de-São-Caetano é utilizado para tratar tumores, feridas, reumatismo, malária, corrimento vaginal, inflamações, problemas menstruais, diabetes, cólicas, febre, vermes. É também usada para induzir o aborto e como afrodisíaco. É um remédio tópico para a pele para tratar vaginite, hemorroidas, sarna, erupções cutâneas, coceira, eczema, hanseníase e outros problemas de pele. No México, toda a erva é usada para diabetes e disenteria, sendo a raiz um afrodisíaco renomado. Na medicina natural peruana, as folhas ou partes aéreas do melão-amargo são usadas para tratar o sarampo, malária, e todos os tipos de inflamação. Na Nicarágua, a folha do melão-de-São-Caetano é comumente usado para dor de estômago, diabetes, febres, resfriados, tosse, dores de cabeça, malária, problemas de pele, distúrbios menstruais, dores, hipertensão arterial, infecções, e como uma ajuda no parto.

O melão-amargo possui uma série de substâncias químicas, incluindo triterpenos, proteínas e esteroides. Além disso, a momordina, proteína encontrada na planta, têm demonstrado atividade anticancerígena contra o linfoma de Hodgkin em animais. 

Outras proteínas presentes na planta, a alfa-momorcharina, beta-momorcharina e a cucurbitacina B, foram testadas quanto a possíveis efeitos anticancerígenas. Um análogo químico destas proteínas foi desenvolvido e patenteado como “MAP-30″, vez que estudos demonstraram a capacidade de inibir o crescimento de tumores de próstata. Duas destas proteínas, a alfa e beta-momorcharina também têm obtido sucesso em inibir o vírus HIV. No estudo, as células infectadas tratadas com alfa e beta-momorcharina mostraram uma perda quase completa de antígenos virais, enquanto as células saudáveis permaneceram em grande parte inalteradas. O inventor do “MAP-30″ apresentou uma outra patente que afirmou que era útil para o tratamento de tumores e infecções de HIV.


Além disso todas as partes do melão-amargo apresentam capacidade de diminuir os níveis de açúcar no sangue, sendo útil para o tratamento do Diabetes mellitus. Essas propriedades químicas que reduzem o açúcar no sangue são encontradas com maior abundância no fruto do melão-amargo e são uma mistura de saponinas esteroides, conhecidas como esteroide-charantina, insulina, peptídeo C e peptídeo insulinotrópico glicose-dependente (GIP), além de alcaloides.
Contraindicações e efeitos colaterais do melão-amargo


O melão-amargo reduz os níveis de açúcar no sangue e possui efeitos abortivos e anticoncepcionais.


História e curiosidades


O melão-amargo cresce em áreas tropicais, incluindo partes da Amazônia, África Oriental, Ásia e Caribe, sendo cultivada em toda América do Sul para o uso em forma de alimento ou medicamento. A Momordica charantia é uma planta trepadeira, com origem do sul da China e leste da Índia. O seu fruto é oblongo de coloração verde quando fruto novo e muda para uma cor mais alaranjada quando maduro. 

As folhas são membranosas, pilosas, lobadas com cinco até sete lóbulos e lisas. Mordica em latim significa mordida, uma referencia as bordas da folha dessa planta, que parece que foi mordida. A Momordica charantia faz parte da Relação Nacional de Plantas Medicinais de Interesse ao SUS (RENISUS), constituída de espécies vegetais com potencial de avançar nas etapas da cadeia produtiva e de gerar produtos de interesse do Ministério da Saúde do Brasil.

DESCRIÇÃO:

O Melão-de-São-Caetano (Momordica charantia), é uma planta medicinal também conhecida comoerva-de-São-Caetano, melãozinho, fruto-negro, balsamina (espanhol), pomme de merveille (francês),papailla, balsam pear e bitter melon (inglês), dentre outros nomes populares. Pertence a família das Cucurbitáceas. As principais aplicações para o melão-de-São-Caetano o uso no tratamento do diabetes, redução dos níveis elevados de colesterol e triglicéridos, úlceras de H. pylori e como ajuda digestiva para gases, inchaço, dor de estômago e digestão lenta causada por parasitas intestinais.

Usos Tradicionais do Melão-de-São-Caetano: abortos, anemia, asma, coceira, colite, comichão, constipação, contusões, corrimento vaginal, cálculos renais, câncer de mama, cólicas, dermatoses, diabetes, diarreia, disenteria, distúrbios menstruais, distúrbios pulmonares, doença celíaca, doenças do fígado, dor abdominal, dor de cabeça, dor de estômago, dores, eczema, erupções cutâneas, esterilidade (feminino), estimulante de apetite, febre, feridas, feridas na pele, função intestinal, gota, gravidez, gripe, halitose, hemorroidas, hepatite, hidrofobia, hiperglicemia, hipertensão, icterícia, impotência, infecções, infecções nos olhos, inflamação do fígado, inseticida, insuficiência renal, lepra, leucemia, malária, parasitas intestinais, parto, pedras nos rins, picada de cobra, pneumonia, prisão de ventre, problemas de pele, problemas de vesícula, problemas hepáticos, problemas menstruais, problemas pulmonares, problemas renais, psoríase, pus, queimaduras, resfriados, reumatismo, rinite, sarampo, sarna, tosse, tumor, urticária, vaginite, vermes.

Propriedades Medicinais do Melão-de-São-Caetano: amargo, antibacteriana, anticancerígeno, antifúngica, antileucêmica, antiparasitário, antiprotozoária, antitumoral, antiviral, anti-fertilidade, anti-inflamatório, anti-malária, anti-séptico, hipoglicêmico, carminativo, estimulante digestivo, estimulante imunológico, estimulante menstrual, febrífugo, hipotensor, lactagogo, vermífugo.

Na Amazônia, as populações locais e tribos indígenas cultivam o melão-de-São-Caetano em seus jardins para utiliza-lo como alimento e medicamento. Eles utilizam a fruta e as folhas no feijão e na sopa para dar um sabor amargo ou azedo. Medicinalmente, a planta tem uma longa história de uso pelos povos indígenas amazônicos. Um chá de folha é utilizada para diabetes, para expelir gases intestinais, para promover a menstruação, e como um anti-viral contra o sarampo, hepatite, e estados febris. Ele é usado topicamente para lesões, feridas e infecções e, internamente e externamente para vermes e parasitas.

Na medicina herbal brasileira o melão-de-São-Caetano é utilizado para tratar tumores, feridas, reumatismo, malária, corrimento vaginal, inflamações, problemas menstruais, diabetes, cólicas, febre, vermes. É também usada para induzir o aborto e como afrodisíaco. É também usada como um remédio tópico para a pele para tratar vaginite, hemorroidas, sarna, erupções cutâneas coceira, eczema, hanseníase e outros problemas de pele. No México, toda a erva é usada para diabetes e disenteria, a raiz é um afrodisíaco de renome. Na medicina natural peruana, as peças de folha ou aérea da planta são usados para tratar o sarampo, malária, e todos os tipos de inflamação. Na Nicarágua, a folha do melão-de-São-Caetano é comumente usado para dor de estômago, diabetes, febres, resfriados, tosse, dores de cabeça, malária, problemas de pele, distúrbios menstruais, dores, hipertensão arterial, infecções, e como uma ajuda no parto.

O melão-de-São-Caetano possui uma série de substâncias químicas, incluindo triterpenos, proteínas e esteroides. Além disso, a momordina, proteína encontrada na planta, têm demonstrado clinicamente atividade anticancerígena contra o linfoma de Hodgkin em animais. Outras proteínas presentes na planta, a alfa e beta-momorcharina e a cucurbitacina B, foram testadas quanto a possíveis efeitos anticancerígenas. Um análogo químico destas proteínas foi desenvolvido e patenteado como ?MAP-30?, vez que estudos demonstraram a capacidade de inibir o crescimento de tumores de próstata. Duas destas proteínas, a alfa e beta?momorcharina também têm obtido sucesso em inibir o vírus HIV. No estudo, as células infectadas tratadas com alfa e beta-momorcharina mostraram uma perda quase completa de antígenos virais, enquanto as células saudáveis permaneceram em grande parte inalteradas. O inventor do ?MAP-30? apresentou uma outra patente que afirmou que era útil para o tratamento de tumores e infecções de HIV.

Além disso todas as partes da Momordica charantia apresentam capacidade de diminuir o açúcar no sangue, sendo útil para o tratamento contra o Diabetes mellitus. Essas propriedades químicas, que baixam o açúcar no sangue são uma mistura de saponinas esteroides conhecidos como esteroide-charantina, insulina, peptídeo C e peptídeo insulinotrópico glicose-dependente (GIP), além de alcaloides. Essas propriedades químicas são encontradas com maior abundancia no fruto da planta.

Efeitos Colaterais e Contraindicações do Melão-de-São-Caetano

O melão-de-São-Caetano reduz os níveis de açúcar no sangue e possui efeitos abortivos e anticoncepcionais.

História e Curiosidades

O melão-de-São-Caetano cresce em áreas tropicais, incluindo partes da Amazônia, África Oriental, Ásia e Caribe, é cultivada em toda América do Sul para o uso de alimentos, bem como de medicamentos. É uma planta trepadeira, com origem do sul da China e leste indiano. Essa planta cresce em áreas tropicais na Ásia, no leste da África, nas ilhas do Caribe e na região Amazônica. O seu fruto é oblongo de coloração verde quando fruto novo e muda para uma cor mais alaranjada quando maduro. As folhas são membranosas, pilosas, lobadas com cinco até sete lóbulos e lisas. Mordica em latim significa mordida, uma referencia as bordas da folha dessa planta, que parece que foi mordida.

Planta Medicinal do SUS

A espécie Momordica charantia faz parte da Relação Nacional de Plantas Medicinais de Interesse ao SUS (RENISUS), constituída de espécies vegetais com potencial de avançar nas etapas da cadeia produtiva e de gerar produtos de interesse do Ministério da Saúde do Brasil. A finalidade da RENISUS é subsidiar o desenvolvimento de toda cadeia produtiva relacionada à regulamentação, cultivo/manejo, produção, comercialização e dispensação de plantas medicinais e fitoterápicos.




De origem asiática, foi trazido da África pelos escravos. Esse cipó é muito comum em cercas e entulhos de terrenos abandonados. Seu fruto cor de ouro com espinhos moles na superfície se abre espontaneamente em 3 partes, quando maduro mostra suas sementes vermelhas comestíveis de grande beleza e paladar suave, muito apreciado pelas crianças.


A infusão dos frutos maduros é boa para curar hemorróidas. As folhas desta planta eram usadas pelas lavadeiras para clarear a roupa. Os escravos usavam o seu chá em banhos que facilitavam o parto e baixava febres.

No Brasil, os frutos são consumidos principalmente pela comunidade nipo-brasileira. São colhidos e vendidos verdes em feiras livres na cidade de São Paulo onde se concentram estas comunidades. Podem ser consumidos também em alguns restaurantes japoneses mais tradicionais.






São popularmente conhecidos entre eles como nigauri, nigagori ou goya, sendo esta última denominação utilizada pelos descendentes provindos da província de Okinawa, onde consome-se muito este fruto. Seu nome Melão-de-são-caetano se deve aos escravos que se estabeleceram na região das minas auríferas e plantaram ao redor de uma capelinha em Mariana. O padroeiro da capela era S. Caetano e os frutos parecidos com melão. Daí o nome Melão de São Caetano.


INDICAÇÃO: Chá de Melão de São Caetano é útil para tratamento de diabetes, diarreia, resolutiva, febrífugo, cólicas abdominais, colite, menstruações difíceis, problemas gástricos, resfriado e reumatismo.

USO EXTERNO: Eczemas, ferimentos, furúnculos, tumores e piolhos.

COMO FAZER: Coloque 2 colheres de sopa de erva para um litro de água, quando a água alcançar fervura, desligue. Tampe e deixe a solução abafada por cerca de 10 minutos. Em seguida, é só coar e beber.

COMO BEBER: Tomar de 2 a 3 xícaras ao dia.


OBS.: Antes de utilizar para finalidades terapêuticas, consulte um fitoterapeuta.

quarta-feira, 24 de maio de 2017

Arácea - Lirio da Paz


Lirio da Paz
Nome científico: Spathiphyllum wallisii



Nome Científico: Spathiphyllum wallisii
Nomes Populares: Lírio-da-paz, Bandeira-branca, Espatifilo
Família: Araceae
Categoria: Flores Perenes, Forrações à Meia Sombra
Clima: Equatorial, Subtropical, Tropical
Origem: América do Sul, Colômbia, Venezuela
Altura: 0.4 a 0.6 metros
Luminosidade: Luz Difusa, Meia Sombra
Ciclo de Vida: Perene

Branca como a neve, a flor deste lírio é muito especial, pois simboliza a paz. Com o tempo e em ambientes mal iluminados ela pode se tornar esverdeada. Sua folhagem verde escura e brilhante é muito bonita. O lírio-da-paz é de crescimento rápido no verão, e tem um belo volume. Pode ser plantada em vasos decorando interiores ou em maciços e bordaduras protegidas por muros, árvores ou outras coberturas.

Deve ser cultivada sempre à meia sombra, em substrato rico em matéria orgânica, com boa drenagem. Adubações anuais e regas freqüentes garantem o visual do lírio-da-paz. Não tolera o frio. Multiplica-se por divisão das touceiras.
É uma planta de bordaduras, mosaicos e interior.
Meia luz  não não deve ser exposta à luz direta do sol.
 Manter o solo úmido.





Fonte: http://www.jardineiro.net 

domingo, 5 de fevereiro de 2017

Bouganville ou Primavera...uma espécie nativa

Nativa da América do Sul a Primavera é um arbusto de característica trepador que também pode ser conduzida como árvore. Também pode ser facilmente conduzida como bonsai.
A origem do nome se dá devido a viagem ao Brasil do francês Louis Antoine Bouganville, que em 1790 descobriu as plantas e levou até Paris, onde o comércio de plantas exóticas movimentava expedições a países distantes. Logo a Primavera se popularizou por toda a Europa a tal pouca que foram criadas plantas híbridas que florescem muito bem em climas mais frios e amenos


Nome científico: Bougainvillea spectabilis, Bougainvillea glabra e etc.
Nome popular: Buganvília, ceboleiro, três-marias ou flor-de-papel primavera,  santa-rita ou espinho-de-santa-rita,roseta.
Família: Nyctaginaceae.
Origem: Nativa Brasil e America do sul.



Características: Por ser uma espécie muito hibridada, já se obteve brácteas com dezenas de formas e cores, inclusive bicolores - e também a forma variegada. 

Caracteristicas:  
  •  A bougainville é um arbusto escandentes,que apresentam troncos flexíveis e galhos que se        desenvolvem voltados para baixo, com formato que lembra trepadeira, alguns autores classificam na  como trepadeira.
  •   Quando adulto esse arbusto  pode atingir de 3 a 10 metros de comprimento. 
  •  A grande maioria é espinhento, apesar de já existir ele sem espinho e de baixo porte. Seus espinhos é um obstáculo no trato diário pois provoca dores fortes, mas também é um elemento positivo nas cercas vivas como proteção e segurança.
  • A primavera é uma planta muito rústica, que necessita de poucos cuidados e se adapta a diversos tipos de clima; sendo, inclusive, bastante resistente a mudanças bruscas de temperatura. É certo, porém, que os coloridos mais vibrantes e intensos desta planta são encontrados em locais de clima quente e úmido.
  • Deve ser plantada em local com bastante sol. Quanto mais sol, maior o número de flores.
  • A bougainvillea se multiplica por estacas e alporques.




Recomendações:

  • Podas- A primavera aceita todos os formatos de podas direcionadas, adapta-se à estrutura que for colocada como apoio. Há as podas tradicionais a exemplo da poda de limpeza periodicamente, removendo galhos secos e doentes, para favorecer o bom desenvolvimento da primavera e estimular sua floração constante.
  •  Após a poda é aconselhável realizar uma boa adubação, usando adubos orgânicos ricos em Fósforo (P). Em geral, as primaveras devem ser adubadas preferencialmente com material orgânico (esterco bem curtido, torta de mamona ou farinha de ossos). No caso de optar pelo adubo químico, a recomendação é aplicar uma formulação NPK 10-20-15 ou aproximada, com predominância do P (Fósforo) da fórmula.


Como cuidar de sua bougainvillea





Bougainvilleas, é uma das plantas mais lindas que existem. Sua composição paisagística quebrando o impacto do verde com seus diversos tons coloridos. Uma planta de fácil adaptação que pode ser cultivado inclusive em vasos. Muito utilizada por quem pratica bonsai.







A bougainvillea spectabilis willd. Essa espécie foi intensamente melhorada, existindo hoje uma vasta gama de cultivares com formas bem diferentes da espécie típica. Ela pode ter flores vinho, laranja, ferrugem, branco, rosa, que se formam no outono e primavera. É cultivada a pleno sol, como trepadeira, para revestir caramanchões e cercas.

















Curiosidades: 
  • As coloridas flores da primavera na verdade são folhas modificadas que envolvem pequenas flores amarelas que ficam na ponta dos ramos, como pode ser observada em nossas fotos aproximadas.
  • A variada gama de possibilidades de uso faz dela uma das plantas mais procuradas para projetos paisagísticos e para o cultivo do bonsai.

Bougainvillea spectabilis criada no estilo Madeira Morta – Aido Bonsai



A espécie possui uma madeira macia, muito boa de trabalhar com retificadeiras, lixas e grosas. Mas o trabalho com madeira morta tem um inconveniente, mesmo quando passamos Insulfur de enxofre, para dar acabamento, defender a madeira de doenças e insetos, ela apodrece com excesso de umidade. O ideal é que a planta fique em área coberta, mas com boa insolação, assim a parte de madeira morta fica protegida da chuva.

Planta no segundo ano de trabalho. Enraizada com superdive no inicio da modelagem. Aido Bonsai



Apesar de ser considerada um arbusto, que pode ser plantado em jardineiras, vasos ou em canteiros próximos a muros e paredes, a Bougainvillea é extremamente versátil, podendo ser conduzida como trepadeira, cobrindo pérgolas, varandas, arcos e até mesmo telhados.

Floração: Floresce principalmente na primavera e no verão.



Reprodução: Multiplicam-se por alporquia, mergulhão ou por estacas de galhos lenhosos. Para ajudar no enraizamento eu mergulho as estacas  no enraizador.


Quando usada para o cultivo do bonsai, deve ser regada sempre que o solo estiver seco. É uma espécie que permite fazer vários estilos diferentes, principalmente o de madeira morta.

Foto Aido 1- O Bonsai a seguir eu modelei a partir do enraizamento de um tronco, que se quebrou com o vento de um temporal. Toda nova copa foi criada ao longo de 8 anos.







Tronco de bougainvillea spectabilis de grande porte, ele foi enraízado . Trabalho inicial, primeira floração depois de transplantada.



No vaso: A poda nesta espécie é constante, pois seu crescimento é bem vigoroso, e quanto mais a copa fica densa e bem ramificada, mais bonita é a sua floração.

Abaixo dois bonsais especiais !





Substrato: As técnicas de cultivo varia de pessoa para pessoa, a exemplo de   bougainvilleas cultivada a uma mistura de 50% caco de tijolo pu pedrisco 20% Condicionador de solo 30% terra negra pura.

Plantio em jardineiras:É possível cultivar a Bougainvillea em vasos e jardineiras, desde que sejam observados alguns cuidados: Preparar o solo para o plantio com uma parte de terra vegetal, uma parte de composto orgânico e duas partes de areia, para facilitar a oxigenação, impedindo a compactação do substrato.

Abaixo um lindo bonsai de Taiwan criado com a espécie: Bougainvillea graba



Colocar o vaso em local ensolarado. Para florescer, a Bougainvillea precisa de pelo menos quatro horas diárias de sol.  Regar pela manhã ou à tarde, quando os raios solares estão menos intensos. Fazer adubações periódicas, a cada 15 dias aproximadamente, usando adubos ricos em Fósforo (P).







O Bonsai abaixo eu criei utilizando um pedaço do mesmo tronco quebrado pelo vento. Ele é irmão do bonsai (foto Aido 1). Fotografia tirada na entrada da primavera, depois de desfolhado.



Fotografia 10 dias após a desfolha.



quarta-feira, 28 de dezembro de 2016

Ceplac dá posse a novos dirigentes regionais


 
Antonio Cesar Costa Zugaib é o novo titular da Superintendência de Desenvolvimento da Região Cacaueira do Estado da Bahia (SUEBA/CEPLAC), em substituição a Adonias de Castro Virgens Filho que exercia interinamente a função.


Antonio Zugaib, Engenheiro Agrônomo formado pela Universidade Federal da Bahia, tem pós-graduação MSc em Economia Rural pela Universidade Federal de Viçosa, curso de Especialização em Gerenciamento de Cooperativas é Especialista em Comércio Exterior pela Fundação Getúlio Vargas, além de Curriculum Lattes com vários trabalhos publicados em livros e revistas como a Revista de Política Agrícola do MAPA, Agrotrópica da Ceplac e Bahia Agrícola da SEAGRI. 

Foi Chefe da Seção de Promoção do Cooperativismo e da Divisão de Cooperativismo da CEPLAC, Secretário de Desenvolvimento Econômico (Agricultura, Indústria, Comércio, Ciência e Tecnologia) do Município de Ilhéus, cedido pela CEPLAC, Gerente da Seção de Planejamento do Centro de Pesquisas do Cacau e atualmente exercia a função de Chefe de Serviço de Planejamento SUEBA/CEPLAC, desde abril 2012.


Outro dirigente regional a tomar posse foi o Engenheiro Agrônomo Raúl René Meléndez Valle como Chefe dos Centros de Pesquisas do Cacau (CEPEC) e de Assistência Técnica e Extensão Rural (CENEX) da SUEBA.


Raul Valle é Engenheiro Agrônomo Fitotecnista, com MSc, PhD e pós-doutorado na área de Fisiologia e Dinâmica da Produção de Cultivos na University of Florida, Gainesville, Florida USA. Foi Chefe da Divisão de Botânica, Líder de Área em Biotecnologia, Coordenador de pesquisas na Área de Fisiologia do CEPEC, Chefe da Seção de Fisiologia Vegetal, Chefe do Serviço de Pesquisas e Chefe do Centro de Pesquisas do Cacau (CEPEC), quando foi um dos principais responsáveis pela alavancagem da cacauicultura regional durante o período crítico da renovação cacaueira no sul da Bahia.


Em seus pronunciamentos de posse os dirigentes agradeceram a Adonias Castro pelos trabalhos desenvolvidos enquanto esteve à frente da superintendência e dos Centros de Pesquisas e Extensão, e asseguraram o empenho da instituição na geração de ciência e tecnologia e a transferência para os produtores em busca de máxima produtividade para o cacau.

Jornalista Responsável: Raimundo Nogueira
Fotos: Águido Ferreira

sábado, 10 de dezembro de 2016

Aragão: está na cara!

E você, vai ficar aí parado?



publicado 09/12/2016


O Conversa Afiada publica texto do Ministro da Justiça (a Dilma acertou por último...) Eugênio Aragão:


Está na cara que a Presidenta Dilma foi derrubada para abrir a temporada de liquidação dos ativos do Brasil para uma comunidade internacional de banqueiros quebrados com a crise econômica mundial.

Está na cara que o Sr. Temer conspirou porque estava revoltado com seu papel de vice-presidente decorativo.

Está na cara que o Sr. Temer não tem legitimidade e nem estatura para gerente da liquidação a que se propôs com sua turba de ministros investigados por corrupção.

Está na cara que o maior beneficiado geopolítica e economicamente nessa virada fascisto-estelionatária é nosso irmão do norte.

Está na cara que o a turba do golpe exerce o poder em benefício pessoal;

Está na cara que a PEC 55 vai nos devolver à condição de país frequentador do mapa da fome e vai expulsar milhões da recém adquirida condição de inclusão na sociedade e no mercado.

Está na cara que o projeto de reforma previdenciária visa a beneficiar fundos e seguradoras privadas com a transferência de rendas públicas e não tem nada a ver com a conversa de sistema deficitário.

Está na cara que o STF resolveu cuspir para cima num grande acordão para salvar o golpe e garantir a liquidação do estado brasileiro.

Está na cara que a Lava Jato foi e é um estratagema não só para derrubar o governo legitimamente eleito de Dilma Rousseff, mas também para varrer o PT da política.

Está na cara que o ano que vem vai ser uma ano mais violento que este é que não tem luz no profundo túnel em que o golpe nos projetou.
Mas, está na cara, dirão os golpistas: e daí? Só levamos o que sempre foi nosso e só emprestamos aos governos do PT em confiança, num gesto não correspondido!

E nós, está na cara, estamos condenados a dormir com um barulho desses se não reagirmos, e devolvemos à sociedade o que é dela: inclusão, dignidade e democracia.

Está na cara mas muitos não querem ver. E estamos esperando o quê?

Em tempo: esse Bessinha... Jamais merecerá dois HCs Canguru... Jamais! - PHA

quarta-feira, 7 de dezembro de 2016

Ministério da Integração libera R$ 5 milhões para barragem na Bahia



O Ministério da Integração liberou nesta terça-feira (6), R$ 5 milhões dos R$ 13 milhões referentes à primeira parcela dos investimentos para a construção da Barragem de Baraúnas. A confirmação do repasse foi feita pelo próprio Ministro Hélder Barbalho  para o secretário de Infraestrutura Hídrica e Saneamento, Cássio Peixoto. A barragem, cujo valor total alcança investimentos da ordem de R$ 54 milhões, vai beneficiar 65 mil pessoas.
"É uma excelente notícia. Significa dizer que o governo federal está atento às necessidades da população baiana e nós vamos continuar seguindo as determinações do governador Rui Costa de buscar os recursos que são de obras prioritárias para o nosso Estado", comemorou Peixoto, acrescentando que o prazo para o término da obra é de 18 meses.
A Barragem de Baraúnas tem como principal finalidade o abastecimento de água para as populações das sedes municipais de Seabra , Boninal, Mucugê, Palmeiras e parte do município de Piatã, contemplando, também, 180 hectares de irrigação, além da  regularização da vazão do Rio Cochó.

sábado, 3 de dezembro de 2016

Construtora emite nota sobre a obra da ponte estaiada de Ilhéus


A construtora OAS emitiu nota pública sobre o andamento da obra de construção da segunda ponte Centro-Pontal, em Ilhéus, que será a primeira ponte estaiada da Bahia. A empresa, contratada pelo Governo da Bahia, está atuando através do canteiro de obras instalado na Praia do Cristo, no centro da cidade. Atualmente, está em execução um aterro provisório no local para dar suporte ao processo de construção do mastro central que sustentará os estais – cabos de aço de alta resistência.
A ponte ligará a orla central à orla sul, entre a Praia do Cristo e o Morro de Pernambuco, com extensão de 533 metros e largura de 25,30 metros. O equipamento terá quatro faixas de rolamento para veículos, uma ciclovia e uma faixa exclusiva para pedestre, de forma a contribuir para a melhoria da mobilidade urbana na cidade.
De acordo com a construtora, após a conclusão do aterro provisório no lado norte, os equipamentos serão enviados para o lado sul, no Pontal, onde será feito outro aterro provisório, em menor dimensão, mas seguindo a mesa metodologia de trabalho. Alerta que esses aterros não serão conectados, o que garante a permanência do canal de navegação para as embarcações.
A empresa explica que nesses aterros provisórios serão executadas as etapas civis da construção da ponte, como estacas, blocos de fundação, pilares, vigas, montagem de pré-moldados, colocação de estais, concretagem da laje, entre outros. O acesso ao canteiro de obras se dá pela Praia do Cristo. A OAS garante que o estacionamento e o movimento turístico no local serão mantidos, devendo-se observar a sinalização para o trânsito.


quarta-feira, 23 de novembro de 2016

Prefeitos eleitos em 2016 debatem a Gestão Pública Municipal




O Seminário Novos Gestores Públicos, promovido pela Associação dos Municípios do Sul, Extremo Sul e Sudoeste Baiano - Amurc, em parceria com o Sebrae foi aberto na manhã desta terça-feira, 22, com a presença de prefeitos eleitos, deputados estaduais e federais, representantes do Governo do Estado da Bahia, entidades e instituições da região Sul da Bahia.
O município anfitrião do município por meio de seu representante deu as boas vindas ao público destacando os desafios dos próximos gestores eleitos e reeleitos, “que deverão estar unidos em prol do bem comum dos municípios”. Lenildo Santana, prefeito de Ibicaraí e presidente da Amurc agradeceu a participação e explicou que o evento termina nesta quarta-feira (24), “e é uma oportunidade para todos os gestores fazerem uma gestão mais eficiente em 2017”.
A coordenadora regional do Sebrae, Claudiana Figueiredo salientou a importância de fomentar a geração dos pequenos negócios através da aplicação da Lei Geral. “A parceria com os municípios atende aos pequenos negócios e fomenta o desenvolvimento de novos atores”.


O deputado Rosemberg Pinto falou em construir a unidades e parcerias, através da Amurc e dos Consórcios, que são instrumentos eficazes para a resolução de problemas em comuns da região. “Temos que estar todos juntos para fazer o melhor para as nossas cidades”. Já para a deputada Ângela Sousa, “saber ouvir as pessoas, fazer uma gestão transparente e com planejamento reduz as dificuldade dos municípios”.
Para o prefeito eleito do município de Itajuípe Marcone Amaral, “o evento esta sendo de grande valia por que traz informações atualizadas que ajudará na organização governo”. Na mesma linha, o futuro prefeito de Buerarema Vinicius de Orlando Filho lembrou da necessidade de união  dos prefeitos. “A Amurc tem esse papel e nos fortalece com a troca de informações e experiência”, destacou.  





Composição da mesa – Durante a cerimônia de abertura do evento, Prefeito de Ilhéus, Jabes Ribeiro, e do presidente da Amurc, Lenildo Santana, a mesa foi composta por Josias Gomes, deputado federal e secretário de Relações Institucionais da Bahia; pelos deputados estaduais Rosemberg Pinto e Ângela Souza; Claudiana Figueiredo, coordenadora regional do Sebrae; e Naomar Alcântara, reitor da Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB).  Além de Juliano Silva, inspetor regional do Tribunal de Contas do Município (TCM); Geraldo Luz, representante do secretário de Infraestrutura Hídrica e Saneamento da Bahia, Cássio Peixoto; Antônio Guilherme, prefeito de Santa Luzia e presidente do Consórcio Intermunicipal da Mata Atlântica (CIMA); Antônio Zugaib, representante da Comissão Executiva do Plano da Lavoura Cacaueira (Ceplac); Alessandro Santana, pró-reitor de Extensão da Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc); e Mário Alexandre, prefeito eleito de Ilhéus.   

   

Programação
Durante todo o dia foram debatidos temas como: “Cenário Econômico e Perspectivas de Crescimento”; “Rede de Apoio a Educação”; “Estrutura e Diagnósticos das Finanças Municipais”; “Consórcio Intermunicipal de Educação” e “Centro de Inovação do Cacau”.

Para a maioria dos palestrantes, o desenvolvimento local e regional é possível fazer a partir do esforço conjunto entre os gestores públicos municipais, pela formulação de parcerias para o planejamento, apoio com recursos diversos e boa execução.